Projeto Villa Preservada

Inserido no perímetro rural de Brasília, o Villa Giardini Eco Parque possui uma vasta área de cerrado nativo e intocado. Entendendo a importância da preservação e manutenção desse bioma, o parque protege uma área correspondente a 45% do terreno de vegetação nativa. Além disso, o parque incorpora plantas nativas e de outras regiões no paisagismo local, detendo um grande acervo botânico,.

O parque abre sua coleção a estudantes, pesquisadores e ao público em geral que tenha interesse botânico, tornando-se um suporte fundamental no campo da pesquisa cientifica e conhecimento na área.

Engajado na formação consciente das futuras gerações, o Ecoparque Villa Giardini desenvolve uma série de projetos educacionais para os mais diversos públicos. O objetivo é promover um maior contato do homem com e espaço natural, e a difusão de técnicas e práticas para um estilo de vida sustentável.

O espaço físico do parque atua na articulação de conhecimento, servindo de suporte para o desenvolvimento de técnicas sustentáveis na arquitetura e no modo de viver. Através de projetos de visitação guiada no complexo, o parque abre suas portas para a difusão de ideias como cidadania, coletividade, consciência ecológica e responsabilidade socioambiental.

Pesquisa e Extensão

O acervo botânico e as técnicas de permacultura empregadas no Ecoparque Villa Giardini são objetos de investigação de diversas áreas do conhecimento e linhas de pesquisa. Por isso, o parque cede espaço para o estudo e investigações que agreguem novos conhecimentos às atividades desenvolvidas no complexo, bem como para a difusão de ideias relacionadas à sustentabilidade, qualidade de vida e preservação da natureza.

Além da questão botânica, o Villa Giardini desenvolve pesquisas no âmbito da sustentabilidade e conforto ambiental aplicados à arquitetura. Com isso, o parque detém um considerável repertório de soluções arquitetônicas sustentáveis, que levam em conta quesitos como racionalização, eficiência, economia e preservação dos recursos naturais. Dessa forma o parque torna-se referência para estudantes e pesquisadores da área de Arquitetura e Engenharia Civil, disponibilizando o acesso às soluções empregadas em seus edifícios, tais como: captação de água pluvial, reciclagem de águas servidas, eficiência energética, soluções quanto a conforto térmico, entre varias outras soluções que permitem um modo de vida consciente e sustentável.


Nos cerrados brasileiros estão plantadas muitas das raízes profundas de nossa sobrevivência. E o que sobrevive ali, quase tudo é mistério ainda. Suas retorcidas árvores, as ásperas folhas e agreste frutos, tudo é um assunto local, que só a força da tradição identifica, respeita e preserva.

Graciliano Ramos